Por um mundo melhor, eficiente e mais sustentável.

A nossa história

Em Setembro de 2000, os irmãos Jorge Martins e Rogério Martins, encontravam-se num evento entre amigos.

No decorrer da ocasião, os irmãos perceberam que mesmo com o aquecimento do local a sala permanecia fria.

Inquietos com a situação, descobriram que as janelas não possuíam um isolamento adequado.

Na ocasião, um amigo comentou que na região norte do país não existia nenhuma empresa de janelas que fosse realmente uma referência no sector.

Desta forma, conscientes das potencialidades das caixilharias em PVC estruturado e do seu impacto positivo no mercado, resolveram criar em Braga uma empresa especializada neste tipo de soluções, a Jorge Martins, Lda.

Inicialmente, o negócio passou apenas pela comercialização de marcas estrangeiras. A partir de Julho de 2007, numa perspectiva de evolução na cadeia de valor, avançou-se para a produção fabril própria, numa parceria com a multinacional Schüco. Esta iniciativa surge com a necessidade de ampliar um negócio de sucesso, fixando a importância da empresa no mercado na região norte.

A par da representação de outras empresas, a Jorge Martins, Lda decidiu lançar a sua própria marca, a 1.61 – Janelas Sustentáveis®

A missão, visão e os valores da empresa e a natureza do sector em que a marca opera reflecte-se no logótipo da 1.61 – Janelas Sustentáveis®, os quais têm a sua base na “secção dourada”. Esta é tida como a definição da harmonia perfeita e do rigor, na organização dos diversos elementos dentro de uma composição, estrutura ou sequência. Este rácio pode ser observado em toda a Natureza.

Actualmente, a 1.61 – Janelas Sustentáveis ®, assume-se como uma marca de referência na área em que actua, conquistando clientes de grandes relevância nas áreas culturais e económicas.

Preocupações ambientais

O elemento base das janelas Poli Cloreto de Vinilo é o sal, um recurso ilimitado. Os produtos sintéticos são, essencialmente, derivados do petróleo, um recurso limitado.

Os custos de energia para a produção de uma janela em alumínio são quase duas vezes superiores aos de produção de uma janela em PVC. As janelas de madeira têm um custo de praticamente o dobro das de PVC.

Uma janela em Poli Cloreto de Vinila tem uma duração duas a três vezes superior a uma janela em alumínio ou madeira.

Além disso, o PVC pode ser completamente reciclado e utilizado numa segunda fase de existência.

As janelas são também um dos elementos cruciais no que toca a eficiência energética de um edifício. Um correcto isolamento pode significar a redução significativa de perdas de energia desnecessárias.

A nossa responsabilidade

A 161 – Janelas Sustentáveis está empenhada em contribuir para esta balanço ecológico positivo. Nesse sentido, além de fabricar produtos que respeitam o meio ambiente, desenvolveu processos de trabalho que se encaixam na mesma filosofia, nomeadamente:
 
• Utilização de produtos sem impactos ambientais;

• Perfis de PVC sem utilização de metais pesados;

• Gestão eficiente da frota logística;

• Recolha e envio para reciclagem de janelas antigas provenientes de trabalhos de desmontagem;

• Recolha e envio de vidro para reciclagem;

• Reciclagem dos perfis, que voltam ser incorporados ao ciclo de produção, poupando assim energia e matérias-primas;

• Melhoria constante da concepção dos sistemas para melhorar o isolamento térmico, acústico e economizar nos consumos de energia;

• Cumprimento das normativas ambientais da União Europeia no que se refere à eliminação total dos metais pesados (cádmio/chumbo) nos processos industriais.